Segunda, 22 Março 2021 11:27

NUCLEP EM ITAGUAÍ INAUGURA LINHA DE PRODUÇÃO DE TORRES DE TRANSMISSÃO

Reprodução: O Dia 

ITAGUAÍ – Uma nova linha de produção traz um novo horizonte para a Nuclebrás Equipamentos Pesados (Nuclep), estatal que atua em Itaguaí, no bairro Brisamar. Conforme explicou Carlos Henrique Seixas – o presidente da empresa – em entrevista recente a O DIA, as torres de transmissão vão ser extremamente úteis na perspectiva que o mercado acena: serão 55 mil quilômetros de linhas de energia instaladas no Brasil nos próximos anos. Lançar a Nuclep nessa empreitada pode significar um alívio financeiro e uma dependência orçamentária menor da empresa em relação ao governo federal, que a incluiu no rol das estatais com potencial de privatização (mas a discussão ainda vai longe).

O evento no parque fabril da empresa simbolizou o início do que tem sido anunciado como “novos tempos” ocorreu na sexta-feira (19), com a presença das seguintes autoridades: Bento Costa Lima - Ministro das Minas e Energia; Ilques Barbosa Junior – Comandante da Marinha; Marcos Sampaio Olsen – Diretor-geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha; Rubem Vieira (Podemos) – prefeito de Itaguaí; Haroldo Jesus (PV) – presidente da Câmara Legislativa de Itaguaí.

Estiveram presentes também Luiz Carlos Ciocchi - diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico e Leonam Guimarães - presidente da Eletronuclear.

O presidente Jair Bolsonaro - cuja presença havia sido anunciada - não compareceu e enviou uma mensagem por vídeo, enfatizando a importância da Nuclep no cenário energético brasileiro. Outra autoridade que estava sendo aguardada era o governador em exercício, Cláudio Castro (PSC), que também não pôde ir.

ACUMULADORES PARA ANGRA 3
Além de marcar a produção das torres, a Nuclep entregou dois acumuladores para a usina nuclear de Angra 3. A entrega dos novos acumuladores totaliza oito fabricados pela Nuclep para a Eletronuclear. Os equipamentos são tanques com 14,2 metros de comprimento e 22 toneladas, utilizados no resfriamento do sistema primário do reator nuclear.

“A nossa meta é aumentar a participação da energia nuclear em nossa matriz energética, posicionando o Brasil como ator internacional relevante nesse restrito mercado. E a Nuclep, como uma das primeiras empresas estratégicas de defesa nacional, dona do seu próprio terminal marítimo e estrategicamente localizada às margens da Baía de Sepetiba, terá um papel proeminente nesta retomada do Programa Nuclear Brasileiro”, destacou o Ministro Bento Albuquerque.

Com a inauguração da linha de produção de torres de transmissão, a Nuclep passa a atuar como um fornecedor do setor energético nacional, contribuindo para o desenvolvimento do país. A empresa espera produzir até 35 mil toneladas de estruturas metálicas por ano. Isso possibilitará a instalação anual de 1,5 mil quilômetros de linhas de transmissão e a chegada de energia elétrica a milhões de brasileiros.