Reprodução: MEGAWHAT A Nuclebrás Equipamentos Pesados (Nuclep) iniciou esta semana a entrega dos oito acumuladores encomendados pela Eletronuclear para a usina nuclear de Angra 3. As duas primeiras peças já deixaram o parque fabril da Nuclep. A expectativa é que os últimos seis equipamentos sejam entregues à subsidiária da Eletrobras até o fim do ano. Os acumuladores possuem cerca de 14,2 metros de comprimento e pesam aproximadamente 22 toneladas. Eles são tanques que acumulam água pressurizada rica em boro, com a função de neutralizar as reações e ser descarregada imediatamente no circuito do reator para resfriamento emergencial. A Nuclep também trabalha na fabricação dos condensadores de Angra 3, componentes responsáveis pelo resfriamento do circuito secundário da usina.  
Reprodução: PetroNotícias Novidades nos preparativos para a retomada das obras de Angra 3. A Nuclep começou a entrega de oito acumuladores encomendados pela Eletronuclear para a usina. Nos últimos dias, dois dos equipamentos (JNG 12 e JNG 21) já deixaram o parque fabril da Nuclep com destino ao almoxarifado geral de Angra 3. Até o final do ano, todos os acumuladores deverão ser entregues à Eletronuclear. “Um projeto como esse, com requisitos nucleares de categoria I, que é o Core Business da nossa empresa, e demanda mão de obra especializada com qualificações específicas de fabricação, não há hoje viabilidade de execução em nenhuma empresa de caldeiraria comum. O que ressalta e evidencia o papel fundamental da Nuclep no Programa Nuclear Brasileiro”, comentou  o presidente da empresa, almirante Carlos Henrique Silva Seixas. Os acumuladores possuem cerca de 14,2 metros de comprimento e pesam 22 toneladas. Cada um deles tem capacidade máxima em operação de 34m³ e 56 toneladas. Esses equipamentos serão usados no sistema de resfriamento da usina. Em caso de um evento emergencial, eles despejam água pressurizada rica em boro no circuito do reator para resfriamento. Trata-se de um sistema passivo, isto é, independe de energia elétrica. Além da guarda e preservação dos equipamentos principais do seu circuito primário – água que passa pelo reator-, a Nuclep também está trabalhando na fabricação dos condensadores, componentes responsáveis pelo resfriamento do circuito secundário da usina – água que não passa pelo reator.
Reprodução: Usinagem Brasil Estatal vinculada ao Ministério de Minas e Energia, a Nuclep - Nuclebrás Equipamentos Pesados acaba de concluir o projeto de modernização de seu torno vertical de grande porte, considerado um dos maiores do mundo. Com mesa de 7.500 mm de diâmetro, a máquina suporta até 500 toneladas e é capaz de usinar peças com diâmetros até 16 mil mm e 10.500 mm de altura. O torno modelo 80DV, fabricado pela alemã Schiess Froriep, foi adquirido em 1982, dois anos após o inicio das atividades da Nuclep, criada para atender ao Programa Nuclear Brasileiro. Depois de mais de 30 anos em operação nas instalações da empresa em Itaguaí (RJ),  tendo sido utilizada inclusive  para a produção de peças para turbinas de hidrelétricas,  a máquina começou a apresentar defeitos que comprometiam a segurança das operações, como acionamentos e disparos sem o comando dos operadores. Por isso, desde julho de 2013, o torno estava fora de operação. A modernização foi iniciada, pela equipe da Nuclep, há aproximadamente dois anos. Com investimento de cerca de R$ 600 mil, a modernização envolveu a atualização do CNC (Z32, da D.Electron); reparos no motor elétrico Siemens 6.3 kW, responsável pelo movimento de inclinação “Swivel”; reparos no motor elétrico AEG, responsável pelo movimento de subida e descida da coluna; reparos nos motores do sistema hidráulico, além de ajustes na geometria da máquina e substituição dos encoders incrementais, conectores etc. “O fato de utilizarmos mão de obra da própria Nuclep na modernização reduziu muito os custos,…
Reprodução: O Dia   Parceria oferece 40 vagas de capacitação profissional, inscrição será neste dia 15/09 ITAGUAÍ - O Senac RJ irá abrir inscrições para o curso online gratuito de Assistente de Logística, que será ministrado em parceria com a Nuclep – Nuclebrás Equipamentos Pesados. São 40 vagas voltadas para moradores de Itaguaí de baixa renda, oferecidas pelo Programa Senac de Gratuidade (PSG). As inscrições serão realizadas na portaria da Nuclep no dia 15 de setembro, de 9h às 12h. As aulas terão início no dia ‪22 de setembro. A parceria da Nuclep com o Senac RJ integra o Projeto ExtraMuros, que visa contribuir para o desenvolvimento das comunidades do entorno da empresa. Essa parceria já promoveu anteriormente o curso de Assistente Administrativo, formando alunos diretamente para o mercado de trabalho. CURSO PELA INTERNET Com duração aproximada de quatro meses, o curso Assistente de Logística tem como objetivo preparar para atuação em operações logísticas e gestão de materiais. O aluno aprenderá a atuar nas operações relacionadas ao planejamento de suprimento de equipamentos, materiais e produtos, acompanhando e controlando atividades de estoque e armazenagem, movimentação, transporte e distribuição. O curso será realizado pela internet, em tempo real, de segunda a sexta, das 13h ‪às 17h. Para se candidatar às vagas é preciso comprovar renda familiar per capita de até dois salários mínimos, possuir comprovante de residência, comprovante de escolaridade do Ensino Fundamental II completo e cópias do documento oficial de identificação e CPF e ter idade mínima de 16 anos. Menores de idade deverão estar acompanhados pelo responsável…
Reprodução: Jornal Atual Por meio de parceria, instituições disponibilizam 40 vagas destinadas exclusivamente a moradores de Itaguaí. CAPACITAÇÃO GRATUITA O Projeto ExtraMuros, resultado de uma parceria entre Senac-RJ e a Nuclep, está com uma nova oportunidade para os moradores de Itaguaí. Através do Programa Senac de Gratuidade, serão oferecidas 40 vagas para o curso gratuito de assistente de logística, na modalidade online e com início marcado para o dia 22 de setembro.  As inscrições poderão ser feitas no dia 15 de setembro, de 9h às 12h, na portaria da Nuclep. Devido às medidas de prevenção à covid-19, os interessados devem estar utilizando máscara e portando comprovante de renda familiar per capita, de até dois salários mínimos, pois as vagas são atribuídas a pessoas de baixa renda. Entre os outros documentos necessários, estão os comprovantes de residência, de escolaridade do ensino fundamental II completo e também cópias do documento de identificação e CPF. A idade mínima para se matricular no curso é de 16 anos e os menores de idade que desejam se candidatar deverão estar acompanhados pelo responsável oficial no dia da inscrição. Para realizar o curso, o aluno deverá ter em sua residência ou local onde assistirá às aulas, notebook ou computador que possuam acesso à internet e ao pacote office. O curso de assistente de logística tem o objetivo de desenvolver as competências profissionais do aluno, com foco na atuação em atividades voltadas para os processos de operações logísticas e gestão de materiais. O participante aprenderá ainda a…
Reprodução: Petronoticias A NUCLEP concluiu a modernização de um dos maiores tornos verticais do mundo, com capacidade para usinar peças de 500 toneladas, com diâmetro de até 16 metros. Essa modernização confirma a capacidade fabril diferenciada da empresa, investindo no que nenhuma outra caldeiraria da América do Sul pode fazer. Esse trabalho conclui mais uma etapa na modernização do  Parque Fabril da NUCLEP. O Diretor Industrial da companhia,  Affonso Alves, disse que o torno vertical é um diferencial na capacidade industrial brasileira. Uma conquista que deve ser explorada em todas as demandas estratégicas de peças de grande porte: “Estamos prontos não apenas para absorver as demandas do Programa Nuclear Brasileiro, mas para atender as necessidades de caldeiraria e usinagem de peças de grande porte, pesadas, de grande altura ou diâmetro”. A placa, atualizada tecnologicamente, contém o novo Comando Numérico Computadorizado. Esse comando e o Torno, podem realizar operações como fresar, furar, mandrilar, entre outras diversas atividades mecânicas. Para o presidente da empresa, Almirante Carlos Henrique Silva Seixas, o objetivo é tornar a NUCLEP ainda melhor e diferenciada no mercado, prospectando mais oportunidades comerciais para a empresa: “A máquina faz exatamente o que as outras empresas não conseguem fazer devido as dimensões que ela tem. Essa estrela que tem um raio de usinagem de até 16 metros, ninguém tem. O Torno abrirá nossas portas à mais obras de setores que já atendemos como Nuclear, Naval, Defesa, Petróleo e Gás, Energia, Mineração, e com essa máquina em operação ambicionamos ampliar ainda mais…
Reprodução: Portos e Navios A Nuclep concluiu este mês mais uma importante etapa na modernização de seu parque fabril. O torno vertical com mesa de 7.500 mm de diâmetro suporta peças com até 500 ton. e tem capacidade de usinar o diâmetro máximo de 16.000mm e altura de 10.500mm. Entusiasmado, o diretor industrial da Nuclep, CMG (EN) Affonso Alves, afirma que o torno vertical é um diferencial na capacidade industrial brasileira. Uma conquista que deve ser explorada em todas as demandas estratégicas de peças de grande porte. “Estamos prontos não apenas para absorver as demandas do Programa Nuclear Brasileiro, mas para atender as necessidades de caldeiraria e usinagem de peças de grande porte, pesadas, de grande altura ou diâmetro”, disse. A placa, atualizada tecnologicamente, contém o novo Comando Numérico Computadorizado – CNC, e o Torno, sozinho, pode realizar diversas operações como tornear, fresar, furar, mandrilar, entre outras. Segundo o presidente da Nuclep, C.Alte. Carlos Henrique Silva Seixas, o objetivo é tornar a Nuclep ainda melhor e diferenciada no mercado, prospectando mais oportunidades comerciais para a empresa. “A máquina faz exatamente o que as outras empresas não conseguem fazer devido às dimensões que ela tem. Essa estrela, que tem um raio de usinagem de até 16 metros, ninguém tem. O torno abrirá nossas portas a mais obras de setores que já atendemos como nuclear, naval, defesa, petróleo e gás, energia, mineração”, disse.
Reprodução: PetroNotícias A Nuclep se uniu ao time de empresas e instituições que estão apoiando o movimento Stand Up For Nuclear, que acontecerá no dia 26 de setembro aqui no Brasil. A iniciativa, conforme mostramos nesta semana, tem o objetivo de levar informações sobre a tecnologia nuclear para o público geral, em especial os jovens e mulheres. “Esse movimento será muito relevante, porque vai congregar as empresas que trabalham na área nuclear e reunirá também pessoas e instituições com ligações com esse segmento. Para nós, será um evento muito importante”, comentou o presidente da Nuclep, Almirante Carlos Seixas. A Nuclep foi criada para atender das demandas do Programa Nuclear Brasileiro e tem papel fundamental em projetos importantes do setor no país, fabricando equipamentos e estruturas usadas nas obras das usinas nucleares de Angra dos Reis e nos novos submarinos da Marinha do Brasil. Para acompanhar as atualizações do Stand Up For Nuclear, basta acessar a página do movimento no Facebook.
Reprodução: Defesa Aérea & Naval   A NUCLEP, representada pelos seus diretores Administrativo, C.Alte (RM-1) Oscar Moreira da Silva Filho, Comercial, Nicola Mirto, e Industrial, CMG (EN) Affonso Alves, recebeu nessa terça-feira (6), a visita de uma comitiva da Von Suckow Tactical Brasil Industria S.A. – VSK Tactical, empresa responsável por desenvolver e fornecer novas soluções e tecnologias para os setores de defesa e segurança. A comitiva, formada pelos CEO, Marcellus Ferreira, e sócia, Juliana Lacerda, apresentou à NUCLEP a “VSK Protector Plus”, uma tecnologia inédita no Brasil capaz de oferecer proteção contra explosões, cortes por uso de ferramentas abrasivas e fogo, assistiu uma apresentação da diretoria Industrial da empresa e na sequência, seguiu para conhecer as dependências do piso fabril. O presidente da NUCLEP, C.Alte (RM1) Carlos Henrique Silva Seixas, afirmou que visitas como a da VLK ratificam a relevância da capacidade e experiência da NUCLEP para o desenvolvimento desse mercado. “Somos referência às empresas que buscam parcerias na área”, disse. “A visita mal começou e já identificamos vários pontos compatíveis aos nossos interesses. A empresa tem capacidade de fabricação e um alto nível de engenharia”, comentou o CEO da VSK, Marcellus Ferreira. Segundo o diretor Administrativo, C.Alte (RM1) Oscar Moreira da Silva Filho, a NUCLEP tem sido procurada por diferentes segmentos da indústria mesmo no período da pandemia. “Somos essenciais mas definitivamente, diferenciados. A nossa mão de obra qualificada e expertise tecnológica aliadas à capacidade fabril e qualidade corroboram nossa importância na contribuição à qualquer grande projeto. Temos…
Reprodução: Petronotícias   A NUCLEP recebeu a visita de uma comitiva da Von Suckow Tactical Brasil Industria, uma subsidiária da  VSK Tactical, com sede em Miami, nos Estados Unidos, que é responsável por desenvolver e fornecer novas soluções e tecnologias para os setores de defesa e segurança. A comitiva foi conhecer as instalações da Nuclep, que desenvolve projetos estratégicos militares, como o Prosub, assim como a construção de equipamentos para a indústria nuclear e energia. O grupo era liderado por  Marcellus Ferreira, CEO da empresa no Brasil e sua sócia, Juliana Lacerda. Eles apresentaram à NUCLEP a “VSK Protector Plus”, uma tecnologia inédita no Brasil capaz de oferecer proteção contra explosões, cortes por uso de ferramentas abrasivas e fogo, e assistiram a uma apresentação da diretoria Industrial da empresa. Desse encontro podem surgir vários negócios, já que a VSK não tem base de construção no Rio de Janeiro e atende ao BOPE, a CORE, a Polícia Federal, a Marinha e ao Exército. Pela NUCLEP, estiveram presentes m o  presidente, Almirante Carlos Henrique Silva Seixas, e os diretores administrativos diretores Administrativo, Almirante Oscar Moreira da Silva Filho, Comercial, Nicola Mirto, e Industrial, Affonso Alves.  A NUCLEP tem sido procurada por diferentes segmentos da indústria, mesmo no período da pandemia,  para iniciar conversações. O Almirante Carlos Seixas disse que “Visitas, como a da VLK ratificam a relevância da capacidade e experiência da NUCLEP para o desenvolvimento desse mercado. Somos referência às empresas que buscam parcerias na área.” O CEO da VSK  Marcellus Ferreira,…