Reprodução: PetroNotícias Um dos maiores eventos de defesa e segurança do país, a 6ª Mostra BID Brasil, vai ser realizada até amanhã no Centro de Exposições Ulisses Guimarães, em Brasília. É um dos mais importantes eventos do segmento e uma grande oportunidade para as empresas mostrarem todo seu potencial e alavancarem seus negócios, como a Nuclep e a Amazul estão fazendo. A Mostra valoriza a Base Industrial de Defesa, divulgando seus produtos, serviços e inovações para o mercado interno e também para o exterior, já que conta com a presença de membros do Congresso e do Senado, Ministros de Estado, nossos embaixadores e diplomatas em geral, embaixadores e adidos militares estrangeiros acreditados no Brasil, delegações estrangeiras e militares dos mais altos postos das nossas Forças Armadas e de Segurança. O presidente da NUCLEP, Almirante Carlos Henrique Silva Seixas e o diretor Administrativo da empresa, Almirante Oscar Moreira da Silva Filho, estão participando do evento, representando a companhia e divulgando as informações sobre a atuação da empresa na área de defesa. Foi na Nuclep que os primeiros submarinos convencionais classe Scorpene foram construídos. As estruturas do submarino nuclear também foram feitas na empresa para os primeiros testes.  Além de receberem no estande da NUCLEP, a visita do Comandante da Marinha do Brasil, Almirante de Esquadra Almir Garnier Santos, os dirigentes da Nuclep também foram conhecer de perto as atividades da Amazul, que também está expondo no evento. “A nossa presença em um dos mais importantes eventos de Defesa e Segurança do país, ratifica a importância da…
Na última quinta-feira (9), a NUCLEP recebeu a empresa norte-americana SparkCognition, que atua na área de inteligência artificial e visa implementar no Brasil estratégias voltadas para petróleo e gás, energia, mineração, finanças e muito mais. Estiveram presentes, representando a empresa, o Country Manager do Brasil, Elias Cromwell, o Diretor de Contas Estratégicas, Aaron White, o Diretor Data-Cientist, Carlos Paiva e o Gerente Geral no Brasil, Marcio André Moraes de Paiva. Eles foram recebidos pelo presidente C.A (RM1) Carlos Henrique Seixas, pelos diretores C.A (RM1) Oscar Moreira da Silva Filho e CMG/EN Alexandre Magalhães e também pelo Assessor de Assuntos Corporativos, Jacson Fialho. Durante a manhã, os representantes da SparkCognition estiveram em uma reunião e conheceram as instalações fabris da NUCLEP. “Para mim é um orgulho ser brasileiro e ter visitado a NUCLEP. Trouxe um colega americano, que já repassou para mim que ele jamais imaginava que o Brasil tivesse esse padrão de tecnologia e comprometimento com o trabalho. Então, parabéns para vocês e obrigada por terem nos recebido”, disse o Country Manager do Brasil, Elias Cromwell. “Novas tecnologias podem abrir caminhos para um trabalho mais eficiente.  Este contato com conceitos de inteligência artificial foi muito interessante e se mostra muito promissor no que concerne a redução de custos, manutenção preventiva e prevenção de retrabalho”, disse o Assessor de Assuntos Corporativos, Jacson Fialho.
Repdrodução: Naval News According to an official press release, the “First Partial Construction License (LPC1)” was signed by the Brazilian Navy’s Directorate-General of Nuclear and Technological Development, the Naval Authority for Nuclear Safety and Quality and Fleet Admiral Marcos Sampaio Olsen. The event saw the participation of authorities and representatives from nuclear sector institutions, such as the International Atomic Energy Agency, the Brazilian-Argentine Agency for Accounting and Control of Nuclear Materials, and the National Nuclear Energy Commission. The General Coordination Office for the Nuclear Propulsion Submarine Development Program (COGESN), as the applicant, submitted to ANSNQ, through the Naval Agency for Nuclear Safety and Quality (AgNSNQ), a set of documents related to the SN-BR, in compliance with the safety requirements necessary for naval nuclear licensing. AgNSNQ, which provides technical support to the Authority’s decision-making, through its Technical Advisory Committee, evaluated COGESN’s request and manifested favorably to ANSNQ’s LPC1 Concession. The issuance of this 1st license meets one of the prerequisites for the applicant to contract the construction site and begin construction of the submarine pressure hull. The LPC1 is the result of a strategy that aims to proceed with the licensing in well-defined stages, in order to allow an adequate level of detail in future analyses. The strategy reflects the Navy’s commitment to achieve the highest level of safety required for a project of this magnitude, which is unprecedented, complex, and challenging. Brazilian Navy statement About SN-BR / SN-10 Álvaro Alberto SSN According to H I Sutton’s World Submarines, the future…
Reprodução: Jornal Atual A Nuclep recebeu nesta semana os alunos do Centro de Instrução e Adestramento Almirante Newton Braga (Cianb), no qual os oficiais da Marinha se aperfeiçoam como intendentes. A visita a empresas que atuam no setor naval faz parte do cronograma do curso e a Nuclep foi uma das escolhidas. "É a primeira vez que o Cianb visita a Nuclep. Esse conhecimento é fundamental para o amadurecimento profissional dos alunos que estão terminando um curso de aperfeiçoamento em gestão pública, por mostrar o funcionamento de uma empresa estatal. Particularmente, foi bom observar que é uma empresa que se dedica aos programas estratégicos da Marinha e é motivo de orgulho para nós", disse o diretor do Cianb, CMG (IM), Marco Alexandre Rodrigues de Aguiar. Após assistirem a uma apresentação sobre a história da empresa e sobre os desafios e as realizações da atual gestão, os alunos visitaram as instalações fabris da Nuclep, onde viram o andamento da fabricação do Bloco 40, parte essencial do protótipo - em terra e escala real - do primeiro submarino de propulsão nuclear do Brasil. A comitiva foi recepcionada pelo diretor administrativo, CA (RM1) Oscar Moreira da Silva Filho (interinamente presidente da empresa), pelo diretor industrial, CMG (EN) Alexandre Magalhães Fernandes, e pelo gerente geral de Planejamento e Finanças, CMG (RM1) Genildo Rodrigues de Araujo. Acompanhavam o grupo de 55 oficiais-alunos, além o diretor do Cianb, o CC Gabriel Sanctos Paolucci, a CC Erica Von Raschendorfer Bastos Lima, os capitães-tenentes José Roberto Barbosa de Fiqueiredo Filho, José Nias Fernandes Junior e Carlos…
Reprodução: Petronotícias Única empresa capacitada a fabricar equipamentos nucleares no Brasil, a Nuclebrás Equipamentos Pesados (NUCLEP) iniciou essa semana a entrega das estruturas do Vaso de Contenção do protótipo em terra e escala real, do primeiro Submarino de Propulsão Nuclear do Brasil (SN-BR).  A peça será recebida no Centro Industrial Nuclear da Marinha em São Paulo, de acordo com encomenda da Amazônia Azul Tecnologias de Defesa (AMAZUL), empresa que contratou a NUCLEP para conclusão da fabricação, montagem e fornecimento do Vaso de Contenção do Laboratório de Geração de Energia Nucleoelétrica (LABGENE), incluindo suas estruturas internas, como o Tanque de Blindagem Primário do Vaso de Pressão do Reator. Devido a sua mão de obra qualificada, suas certificações e estrutura fabril, a NUCLEP foi escolhida para produção do Vaso de Contenção, parte essencial das obras do LABGENE e que corresponde à estrutura onde será instalada, testada e aprovada a planta de geração nucleoelétrica. A peça entregue é composta por duas virolas, anel de metal que envolve o equipamento para apertar e  reforçar da seção inferior e a estrutura do fundo do Tanque de Blindagem Primária do Vaso de Pressão do Reator. Já foram  entregues pela NUCLEP para o LABGENE dois Vasos Acumuladores (VP3 e VP4), dois Trocadores de Calor (TC1 e TC2) e o primeiro (VP5), de dois vasos, que correspondem aos Tanques de Inundação (VP5 e VP6). Para lembrar,  o Almirante de Esquadra Marcos Sampaio Olsen, assinou a Portaria de Concessão da Primeira Licença Parcial de Construção (LPC1) do Submarino Convencional…
REPRODUÇÃO: DefesaNet   A NUCLEP recebeu na quarta (24NOV2021), a visita das comitivas das autoridades do Programa de Submarinos da Marinha, compostas pelas: - Agência Naval de Segurança Nuclear e Qualidade (AgNSNQ); - Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo (CTMSP); - Comando da Força de Submarinos (ComForS), e pela, - Coordenadoria-Geral do Programa de Desenvolvimento de Submarino com Propulsão Nuclear (COGESN). Presentes ainda, autoridades da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e da Itaguaí Construções Navais (ICN).   As comitivas, acompanhados pelo presidente CA (RM1) Carlos Henrique Silva Seixas, o Diretores Administrativo, CA (RM1) Oscar Moreira da Silva Filho, e Industrial, CMG/EN Alexandre Magalhães, visitaram a obra de construção pela NUCLEP, do Bloco 40, seção onde ficará o reator do protótipo, em terra e escala real, do primeiro Submarino de Propulsão Nuclear do Brasil (SN-BR). Lideravam os grupos: - Diretor da Divisão de Operações "C" do Departamento de Salvaguardas da AIEA, Haroldo Barroso Junior; - Diretor da AgNSNQ, CA (RM1-EN) Ruivo; - Assessor Técnico-Científico do CTMSP, Aldo Malavasi Filho; - Comandante. da Base de Submarinos da Ilha da Madeira, CMG De Luca;  - Diretor-Presidente da ICN, André Portalis, e o, - Coordenador-Geral da COGESN, VA (EN) Neves.
Reprodução: Jornal Atual O prefeito de Itaguaí, Rubem Vieira de Souza, visitou pela primeira vez, na última terça-feira (16), a Nuclebrás Equipamentos Pesados (Nuclep), empresa responsável por projetar, desenvolver, fabricar e comercializar equipamentos pesados para os setores nuclear, de defesa, óleo e gás, energia e outros segmentos. Recepcionados pelo presidente, Carlos Henrique Silva Seixas, e os diretores Oscar Moreira da Silva Filho (administrativo) e Alexandre Magalhães Fernandes (industrial), o prefeito e sua comitiva percorreram as instalações fabris e o Centro de Treinamento Técnico Industrial. Para o chefe do Executivo municipal, é fundamental reativar a parceria com a empresa: "O Centro de Treinamento da Nuclep tem uma tradição local de formar grandes profissionais, que não só se estabeleceram aqui na empresa, mas que tiveram oportunidades em outros lugares, pelo conhecimento e pela experiência adquiridos, comprovados por um currículo diferenciado com o selo de qualidade da Nuclep. É a minha primeira visita como prefeito eleito e a sensação é de muito orgulho por nossa parceria com este parque industrial tão importante para o Brasil, situado em nossa Itaguaí", declarou.
Reprodução Jornal da Cidade   A Folha de S. Paulo erra mais uma vez ao insinuar que o Ministro das Minas e Energia, Almirante Bento Albuquerque, teria sido conivente com a nomeação de quatro motoristas da diretoria da estatal NUCLEBRAS ao cargo de assistente de diretoria. De cara já existe incompatibilidade de datas. A nomeação se deu em 03/08/2016 – Michel Temer ainda era presidente interino – e o Almirante Bento só ingressaria no Conselho de Administração da Nuclebras em 22/12/2016, cerca de 100 dias depois da nomeação. De qualquer forma a nomeação foi feita pela Diretoria Executiva da época, sem que o Conselho Administrativo fosse consultado. Os assistentes comissionados foram exonerados em 31/05/2018, ainda no governo Michel Temer. Mal informada, a Folha de SP, afirma que a CGU teria indicado ‘o ressarcimento’ de um valor que passaria de um milhão de reais. Novamente, a Folha incorre em ‘fake news’, na medida que a Corregedoria da estatal concluiu pelo arquivamento da auditoria referente ao caso, dada a ausência de dano ao erário e de conduta dolosa, conclusão que contou com a chancela do Corregedor Setorial da própria CGU, exarada por meio do ofício nº 691/2019/CSCTIC/CORIN/CORIN/CRG-CGU, de 16/01/2019. PRESIDENTE DA NUCLEBRAS CORTOU R$ 100 MILHÕES DA FOLHA DE PAGAMENTO É muito cabotino da parte desse tradicional jornal paulista levantar suspeitas infundadas sobre má gestão de cargos e salários exatamente sobre um presidente de estatal que enxugou a folha de pagamento da empresa em mais de R$100 milhões. O Contra-Almirante, Carlos H.…
Reprodução Petronotícias  O setor nuclear brasileiro parece estar sob ataque de alguns setores da mídia formal brasileira. Nos últimos dias, um destaque incompreensível para uma live protagonizada por uma antropóloga da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Glaucia Silva, que atacou a energia nuclear completamente fora de contexto. Sem nenhum embasamento técnico-profissional, a antropóloga só demonstrou um organizado senso de desconhecimento sobre o que é verdadeiramente a energia nuclear.  Pareceu que o mais próximo que chegou deste tema tinha sido o interruptor de sua casa para acender uma lâmpada. Falou com uma convicção exemplar sobre um assunto que não conhece.  Há dois dias, e aí pareceu orquestrado, dois jornais importantes fizeram novos ataques. Um editorial do jornal O Globo sobre as usinas nucleares e uma reportagem da Folha de São Paulo sobre os salários de motoristas da Nuclep, a maior caldeiraria pesada do Brasil. O editorial demonstrou um profundo desconhecimento sobre a eficiência das nossas usinas e um distanciamento paralelo do que representa a energia nuclear no Brasil, seus avanços, sua capilaridade, seu emprego em defesa da saúde, do tratamento médico, dos cuidados com os alimentos, além das pesquisas e a realidade dos novos pequenos reatores modulares, que parece desenhar o futuro da indústria nuclear de geração de energia. A resposta ao jornal O Globo, feito pela empresa de energia Eletronuclear, foi clara, óbvia e deve ter constrangido o autor do texto do jornal, que parece ter ouvido alguma coisa, mas demonstrou não saber sobre o que falava. O jornal deveria dar o…
Reprodução: Petronotícias O Engenheiro Cezar França, que trabalha na Nuclebras Equipamentos Pesados (NUCLEP), único no Brasil certificado pela Sociedade Americana de Engenheiros Mecânicos (ASME) como Nível III em Ensaios Não Destrutivos  para  construção, manutenção e recuperação de alguns dos equipamentos nucleares mais importantes e estratégicos às nossas Usinas, foi escolhido pela ABDAN (Associação Brasileira de Desenvolvimento das Atividades Nucleares) para ser um dos cinco homenageados e receber a medalha de Honra ao Mérito Nuclear, em cerimônia de gala realizada na Ilha Fiscal, no Rio de Janeiro. A sua indicação foi um reconhecimento do Presidente da companhia, Almirante Carlos Seixas, que também participou da homenagem. Um dos destaques desse evento anual, Cézar agradeceu o recebimento da premiação: “Foi uma honra eu ter sido premiado. Eu não esperava. Eu me dedico à área há mais de quarenta anos e posso dizer que eu tenho uma experiência  especial no segmento nuclear no Brasil. No meu currículo tem os principais componentes fabricados pela NUCLEP. Consigo lembrar cada equipamento e componente que conseguimos entregar aos nossos clientes. Cada equipamento é algo novo, um desafio. São totalmente diferentes, desde componentes de usinas nucleares a cascos de submarinos. Agradeço muito ao presidente Seixas e a ABDAN pelo reconhecimento. Essa medalha consolida toda minha paixão e dedicação à NUCLEP e ao setor nuclear do Brasil”, disse. Ao todo, foram homenageadas cinco importantes personalidades da indústria por suas contribuições ao desenvolvimento e expansão da tecnologia nuclear no país: O Almirante Marcos Sampaio Olsen, Diretor-Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha; o assessor…