Reprodução: Naval Porto Estaleiro.   Na última semana, o Brasil avançou a passos largos a sua missão de concluir o projeto de lançamento do seu primeiro submarino a propulsão nuclear. Segundo Rafael Grossi, Diretor Geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), o Brasil dará início às consultas para averiguar os procedimentos especiais de verificação aplicados ao material nuclear. Durante o seu anúncio, Grossi elogiou a decisão brasileira de fidelizar uma parceria com a AIEA neste projeto. Isso porque o Brasil é membro da AIEA desde a sua criação, em 1959. Basicamente, o AIEA é um organismo internacional que tem a responsabilidade estatutária de orientar e auxiliar a pesquisa e o desenvolvimento das aplicações práticas sobre energia nuclear, com objetivos muito bem definidos e pacíficos. Dessa forma, também foi mencionado que o projeto do submarino a propulsão nuclear dotado de armas convencionais está em sua fase final. A partir do momento que o projeto do submarino a propulsão for concluído, o Brasil sairá na frente e será o primeiro país a não possuir armas nucleares durante o desenvolvimento, de maneira autóctone, um submersível movido a energia atômica. Neste sentido, uma das vantagens do submarino a propulsão nuclear sobre o movido a óleo diesel é que a sua permanência submersa ocorre por períodos muito mais longos, sem a necessidade de reabastecimento. Outro ponto positivo é que eles são mais velozes e silenciosos, portanto, existe uma maior dificuldade para detecção. Sendo assim, foi informado que a embarcação será construída nos estaleiros de…
Reprodução: Portos e Navios. Durante a maior feira da indústria naval e offshore da América Latina, a Nuclebrás Equipamentos Pesados vai mostrar outras atividades mais recentes, como a fabricação do terceiro condensador da usina nuclear de Angra 3 e projetos de fabricação de torres de transmissão elétricas e eólicas Concluir as demandas dos contratos vigentes, em médio e longo prazo, e estender os contratos no setor de óleo e gás são as prioridades da Nuclebrás Equipamentos Pesados (Nuclep) – empresa voltada para quatro segmentos: defesa, energia, nuclear e óleo e gás. “Atualmente, temos contratos ativos em cada um desses setores, o que é muito importante para o desenvolvimento industrial e estratégico do nosso país”, ressaltou, à Portos e Navios, o contra-almirante da Marinha do Brasil Carlos Henrique Silva Seixas, que também preside a Nuclep. “Com muita dedicação e trabalho, nós conseguimos aumentar a quantidade de contratos existentes, abrindo um leque de possibilidades para o crescimento da Nuclep, uma empresa enorme e estratégica aos setores nuclear e de defesa do Brasil”, reforçou o executivo. Mais uma vez, a companhia vai estar presente na Navalshore, a maior feira da indústria naval e offshore da América Latina. Durante a exposição, a Nuclebrás Equipamentos Pesados vai mostrar seus últimos trabalhos, como é o caso do projeto de submarino nuclear, que promete revolucionar a história do setor de defesa do Brasil. “Nós estamos fabricando a seção 40 do reator nuclear do Laboratório de Geração Núcleo Elétrico (Labgene), que é o protótipo – em escala um…
Reprodução: Jornal Atual.  Em missão organizada pelo Ministério de Minas e Energia (MME), em comum acordo com o Departamento de Estado Norte-americano, já se encontra na cidade de Knoxville, no Tennessee, uma comitiva do setor nuclear nacional formada pelo Chefe da Assessoria Especial de Gestão Estratégica do MME – VA Noriaki Wada; o presidente da Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A (Nuclep) – Carlos Henrique Silva Seixas; o presidente da Indústrias Nucleares do Brasil (INB) -Carlos Freire Moreira; o Gerente de Planejamento e Orçamento da Eletronuclear (ETN) – Roberto Cardoso Travassos; o presidente da Associação Brasileira para Desenvolvimento de Atividades Nucleares (Abdan) – Celso Cunha, e o Assessor do MME – Marcello Pereira de Araujo Lima.   A viagem, que deverá ser encerrada em Washington, tem o propósito de realizar diversas reuniões e encontros entre a comitiva brasileira e entidades reguladoras e companhias norte-americanas do setor nuclear. O grupo formado por representantes do MME, instituições e empresas do segmento no Brasil tem como foco o sucesso no network e estreitamento de laços para captação de novos negócios ao setor energético dos dois países.
Reprodução: Petronotícias.    Empresas brasileiras e americanas do setor nuclear se reuniram nesta semana para discutir potenciais parcerias e negócios. A reunião aconteceu na sede do Nuclear Energy Institute (NEI), em Washington DC. A presidente do NEI, Maria Korsnick, o presidente da Associação Brasileira para Desenvolvimento das Atividades Nucleares (ABDAN), Celso Cunha, e Aleshia Duncan, do Departamento de Energia dos Estados Unidos, conduziram a abertura do encontro. Em sua fala, Cunha destacou a importância da descarbonização, as iniciativas da associação, as parcerias com as empresas do segmento nuclear e o compromisso dos Estados Unidos em conhecer e estar presente neste momento tão importante para o setor nuclear no Brasil. Para lembrar, desde o início dessa semana, o presidente da ABDAN e outros membros da indústria nuclear brasileira estão viajando pelos Estados Unidos para cumprir uma intensa agenda de encontros e debates sobre oportunidades de parcerias entre os dois países no setor. A equipe é liderada pelo Chefe da Assessoria Especial de Gestão do MME, Almirante Noriak Wada, e conta ainda com o presidente da Nuclep, Carlos Seixas, o presidente da Indústrias Nucleares do Brasil (INB), Carlos Freire Moreira, o assessor do Ministério de Minas e Energia, Marcello Pereira de Araújo Lima, entre outros. A reunião no NEI teve ainda um debate sobre Segurança de Abastecimento de Infraestrutura de Energia Nuclear, com a participação dos presidentes da Nuclep, da INB e da Amazul. Em sua fala, o presidente da Nuclep reforçou a importância da energia nuclear para o mundo e falou sobre a relevância do estreitamento de laços e novos negócios entre os…
Reprodução: Defesa em Foco.  Desde quarta-feira (3) em Washington DC, a Comitiva brasileira que está nos EUA em busca de novos negócios ao Setor Nuclear, brilhou ontem ao se apresentar no Nuclear Energy Institute (NEI). O dia foi dedicado integralmente à interação entre as empresas nucleares dos dois países, com reuniões bilaterais precedidas de apresentações e debates sobre a possibilidade de novos negócios e parcerias. O presidente da NUCLEP, CA (RM1) Carlos Henrique Silva Seixas, apresentou o vídeo que demonstra a capacidade, expertise e histórico da empresa que foi criada para atender ao Programa Nuclear Brasileiro.Na sequência, foi passado um PowerPoint em que em ele deu um panorama mais detalhado das obras já realizadas pela NUCLEP, as em curso e as perspectivas, como a de fabricar os Trocadores de Calor para a Eletronuclear, absorver a construção de Small Reactors no Brasil (pequenos reatores nucleares) e da ambição de construir na NUCLEP, o Reator Multipropósito Brasileiro (RMB). Em seu discurso o presidente da NUCLEP reforçou a importância da energia nuclear para o mundo e da relevância do estreitamento de laços e novos negócios entre os países. “A energia nuclear está com força nos projetos de várias nações que pretendem reduzir os custos com energia elétrica e alcançar metas ambientais. As usinas nucleares são capazes de produzir energia limpa em massa. Essa missão tem um propósito importante não apenas às empresas envolvidas mas na preocupação com o futuro energético global”, afirmou o Contra-Almirante. Em missão organizada pelo Ministério de Minas e Energia (MME)…
Reprodução: Petronotícias.    O Brasil e os Estados Unidos estão dando mais um passo para estreitarem ainda mais suas relações dentro do setor nuclear. Uma comitiva brasileira está nesta semana em viagem por estados americanos, cumprindo uma agenda de reuniões e debates sobre o mercado nuclear.  O Ministério de Minas e Energia (MME) e o Departamento de Energia dos Estados Unidos organizaram a visita, cujo objetivo é apresentar de perto as novas oportunidades que o segmento está proporcionando em diversas áreas – tanto na geração de energia, quanto na fabricação de radiofármacos e irradiação de alimentos. A equipe é liderada pelo Chefe da Assessoria Especial de Gestão do MME, Almirante Noriak Wada. O grupo conta ainda com o presidente da Associação Brasileira para Desenvolvimento das Atividades Nucleares (ABDAN), Celso Cunha; o presidente da Nuclep, Almirante Carlos Seixas; o presidente das Indústrias Nucleares do Brasil (INB), Carlos Freire Moreira, entre outros. A agenda desta quarta-feira (3) é no estado do Tennessee, para uma visita ao Oak Ridge National Laboratory (ORNL). O centro de pesquisa oferece descobertas científicas e avanços técnicos necessários para realizar soluções em energia e segurança nacional e fornecer benefícios econômicos para os EUA. O ORNL tem uma ampla gama de parcerias com outros laboratórios e programas do Departamento de Energia dos EUA, universidades e indústria. Entre as atividades do centro, está a pesquisa sobre novos materiais, softwares e sistemas para manufatura avançada para a indústria nuclear. A comitiva brasileira deverá passar ainda por Virginia e Washington DC. Um ponto de especial interesse do Brasil é…
Reprodução: Defesa em Foco.  No último dia 27 de julho, uma comitiva de profissionais de diversos setores da NUCLEP, visitou o Comando da Força de Submarinos (FORS), a Base de Submarinos Almirante Castro e Silva (BACS), o Centro de Instrução e Adestramento Almirante Átilla Monteiro Aché (CIAMA), o Submarino   TAPAJÓ, que teve seus cascos resistentes fabricados pela NUCLEP, o novo Navio de Socorro Submarino GUILLOBEL, o Centro Hiperbárico e o Tanque de Treinamento de Salvamento de Submarino (TTSS), seguido de um almoço na Praça D’armas da BACS. A visita foi instrutiva, guiada por militares submarinistas e mergulhadores,conhecedores de suas áreas de atuação, com o objetivo de mostrar e aproximar nossosprofissionais do resultado do trabalho realizado em nosso piso fabril, na construção dos submarinos da nossa Marinha do Brasil. Para o Técnico do Meio Ambiente, Thiago Soares Rodrigues, a experiência foi enriquecedora, e reforçou “Podermos ver o submarino construído agrega mais valor ao trabalho que executamos na NUCLEP. Vimos pessoalmente a importância do nosso trabalho e o quão longe ele pode chegar. Isso nos inspira a ter mais dedicação e destreza.” A incursão teve o apoio e iniciativa do Comando da Força de Submarinos, daPresidência e Diretoria Executiva da NUCLEP e da Gerência Geral de SMS, responsável pela organização do evento.
Reprodução: Defesa em Foco.  Em missão organizada pelo Ministério de Minas e Energia (MME) em comum acordo com o Departamento de Estado Norte-americano, já se encontra na cidade de Knoxville, no Tennessee, uma comitiva do setor Nuclear nacional, formada pelo Chefe da Assessoria Especial de Gestão Estratégica do MME, VA Noriaki Wada; o presidente da Nuclebras Equipamentos Pesados S.A (NUCLEP), CA (RM1) Carlos Henrique Silva Seixas; o presidente da Industrias Nucleares do Brasil (INB), CMG-EN Carlos Freire Moreira; o Gerente de Planejamento e Orçamento da Eletronuclear (ETN), Roberto Cardoso Travassos; o presidente da Associação Brasileira para Desenvolvimento de Atividades Nucleares (ABDAN), Celso Cunha, e o Assessor do MME, Marcello Pereira de Araujo Lima. A viagem que deverá ser encerrada em Washington DC, tem o propósito de realizar diversas reuniões e encontros entre a comitiva brasileira e entidades reguladoras e companhias norte-americanas do setor Nuclear. O grupo formado por representantes do MME, instituições e empresas do segmento no Brasil, tem como foco o sucesso no network e estreitamento de laços para captação de novos negócios ao setor Energético dos dois países.   Divulgação: Gerência Geral de Comunicação da NUCLEP
Reprodução: Diário do rio. Na noite da última terça-feira, 26/07, o presidente da NUCLEP, Carlos Henrique Silva Seixas, foi reeleito um dos 100 mais influentes da Década da Energia, prêmio concedido pelo Grupo Mídia/Full Energy, através de uma análise e votação pelos principais players do setor. A solenidade aconteceu no Centro de Convenções Rebouças, em SP. “Agradeço ao grupo Mídia e à Full Energy pelo reconhecimento do nosso esforço para construir cada dia uma empresa melhor. Estou aqui representando toda a diretoria executiva e a força de trabalho da NUCLEP. Esse prêmio é o resultado do esforço coletivo para que tenhamos cada dia mais sucesso e força dentro dos mercados em que atuamos”, disse o presidente Seixas após receber o prêmio. O evento deste ano reuniu nomes de grande expressividade para o setor Nuclear do País, como o ex- ministro de Minas e Energia, Almirante de Esquadra Bento (RM1) Albuquerque; o presidente da Amazônia Azul Tecnologias de Defesa, VA (RM1) Newton de Almeida Costa Neto; o presidente da ENBPar, VA (RM1) Ney Zanella; e o presidente da ABDAN, Celso Cunha. Entre outras autoridades, receberam o prêmio, os ministros do Meio Ambiente, Joaquim Leite, e de Minas e Energia, Adolfo Sachsida. Convidado especial, o Deputado Federal Julio Lopes também esteve presente tendo sua atuação em defesa do setor Energético reconhecida. NUCLEP busca realizações em Itaguaí O Contra-Almirante Carlos Henrique Silva Seixas esteve, com representantes da Prefeitrua de Itaguaí, em um encontro com o Presidente da Fecomércio RJ, Antonio Florencio de Queiroz Junior, que…
Reprodução: Petronoticias. Uma noite especial para a indústria de energia brasileira. Os principais executivos e membros desse setor se reuniram em São Paulo para a cerimônia de entrega do prêmio “100 Mais Influentes da Energia”, realizado pelo Grupo Mídia/Full Energy. A lista completa dos vencedores já está disponível no site dos organizadores do evento. A premiação reuniu representantes de todos os segmentos da matriz energética brasileira e teve ainda uma fala do ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, que gravou uma mensagem para o evento. Outro destaque do prêmio foi a forte presença de representantes do setor nuclear do país, celebrando a recente escalada da fonte no planejamento energético brasileiro. A mesa destinada ao setor nuclear foi capitaneada pelo presidente da Associação Brasileira para Desenvolvimento das Atividades Nucleares (ABDAN), Celso Cunha. O grupo de representantes do segmento foi prestigiado pela presença do ex-ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. Além disso, o presidente da Nuclep, Carlos Seixas, foi um dos vencedores do prêmio, na categoria Indústria. Como se sabe, a Nuclep é uma peça fundamental na engrenagem do setor nuclear do país, fabricando importantes componentes usados na central nuclear de Angra dos Reis. O evento contou ainda com outros importantes nomes ligados ao setor energético: Marcelo Hofke, Diretor Superintendente no Brasil da OEC; Luiz Celso Oliveira, Gerente na América do Sul da Holtec; Almirante Ney Zanella, presidente da ENBPar; Deputado Julio Lopes; Almirante Newton de Almeida Costa Neto, entre outros.
Página 1 de 14